A Ferreira Gullar

Janeiro de 2017 por

Meu amigo
Ferreira Gullar
Ontem aqui
Hoje lá
Sua Terra
Tem palmeira
Onde emudeceu
O sabiá
Poeta Ribamar
Não o outro
O dono do lugar
Oh, Jesus!
Não o refrigerante
Mas
O sempre presente
Receba-o bem
Gente boa
O Senhor vai gostar
Passeava na feira
Livre
Como um mortal qualquer.
Livre
Era o seu pensar.
Navegou na nau
Vascaína.
Amordaçado, preso e exilado
Nunca calado.
Diziam-no imortal
Porque se deixou levar
Sabe amigo
Imortais são seus livros
Esses nunca vão desencarnar.

Escrito em 06/12/2016

Artigos Relacionados

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *