Às Vezes o Barato Sai Caro

Março de 2011 por

Hoje eu falo das mulheres que trabalham em casa, e muitas vezes na rua também, elas comandam a economia da família, não se preocupam com o cansaço ou com a situação decorrente das atitudes que às vezes são obrigadas a tomar.

sapatos

Foto: Wendi Dunlap

Normalmente elas percorrem a feira várias vezes, sempre em busca do preço e da qualidade das mercadorias expostas pelos feirantes.

Eu mesmo já assisti algo que me deixou meio constrangido.

Uma senhora fez com que um vendedor de sapataria trouxesse umas vinte caixas de sapatos, o chão da loja ficou apinhado de caixas, ela examinou e experimentou todos. Depois, na maior tranquilidade, levantou-se e disse que nenhum deles lhe agradara, saindo calmamente da loja, falando para o seu marido:

– Não gostei, não vou comprar só para agradar ao vendedor.

De outra feita, em um supermercado, no açougue, uma senhora queria um pedaço de carne, porém o empregado não queria atendê-la. Ela não discutiu mais, pediu o primeiro pedaço e o segundo pedaço da peça. Saiu dali, e na frente do empregado, colocou o primeiro pedaço em uma gôndola qualquer, saindo toda fagueira, “numa boa”, com o pedaço que ela queria.

Certa vez, eu vi uma senhora esculhambar um vendedor de móveis. Ele apregoava que o móvel era de madeira maciça, a senhora disse que era mentira e que o móvel era aglomerado. O vendedor tentou argumentar, porém a senhora disse que não adiantava tentar enrolá-la, pois ela era casada com um marceneiro. O vendedor “colocou a viola no saco” e ficou calado.

A minha amiga Aurora, que adora comprar em camelô, gosta de aproveitar um “preço camarada”. Sempre que surge uma liquidação, lá estava minha amiga.

No outro dia, ela apareceu com um par de sapatos dizendo que tinha adquirido por uma pechincha. O par de sapatos havia custado R$ 5,00. Eu argumentei que por R$12,00 ela compraria um sapato bem melhor. Minha amiga disse que o preço foi muito bom. Dias depois minha amiga tentou usar o sapato, porém descobriu que se fazia necessário colocar um par de palmilhas. Ela, então, levou o par de sapatos para o sapateiro, não se preocupando em saber o preço. Quando foi pegar os sapatos veio a surpresa para Aurora, o par de palmilhas custou R$10,00.

As palmilhas foram mais caras que os sapatos.

Com um agravante: ela teve que usar band-aid no calcanhar. Mesmo assim mancava, pois havia diferença de um sapato para o outro.

Acredite, porque é verdade.

Artigos Relacionados

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *