O Charuto Amigo

janeiro de 2017 por

Hoje eu quero falar sobre o meu grande amigo, o charuto. Como ele foi importante na minha vida! Até hoje não me canso de agradecer a sua ajuda na hora da decisão que tive de tomar. Muito obrigado, meu amigo.

O charuto foi companheiro inseparável na vida de muitas pessoas, que o apreciavam com muito gosto. E olha que não eram quaisquer pessoas, vou mencionar algumas:charuto

  • Fidel Castro era amante do charuto cubano Cohiba;
  • Maradona, jogador de futebol argentino, também era chegado a um charuto;
  • Demi Moore, atriz de cinema americana, aprecia um charuto;
  • Winston Churchill, o estadista inglês, era fã;
  • Sigmund Freud, o pai da psicanálise, pra relaxar fumava o seu charuto.

Não me esqueço de quando pela primeira vez fumei um charuto, foi num dia 31 de dezembro na passagem de ano na minha adolescência.

Antigamente era tradição, quando nascia um filho, o pai distribuía charutos às pessoas mais íntimas para festejar o rebento.

Conta a história que o presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy, que era fissurado em charuto cubano, em 1962, incumbiu o seu secretário de imprensa, Pierre Salinger, para conseguir charutos cubanos em menos de 24 horas. O secretário conseguiu 1.200. Então o presidente assinou o embargo e o tabaco cubano ficou fora dos limites americanos.

Depois do primeiro charuto tudo mudou pra mim.

Um grande apreciador de charutos, não sei se continua sendo, é o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton. Só que ele costumava, antes de fumar, molhar o seu charuto no tinteiro. Cada um com sua mania, mas em 1995 ele quase se deu mal com essa mania.

Espero que vocês tenham gostado dessa crônica na qual eu falei do charuto.

Agora vou satisfazer a curiosidade de vocês sobre a importância do charuto na minha vida. Depois daquele dia em que eu me engasguei, passei mal, vomitei, nunca mais coloquei um fumo na minha boca. Por isso eu agradeço muito àquele charuto.

Artigos Relacionados

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *